Hoje vamos começar uma “série” de reportagens, porque ao falar sobre silicone o assunto é infinito!


De início irei falar sobre as próteses de silicones em si, formato, revestimento e indicações, nas próximas semanas iremos falar sobre vias de acesso, localização e mitos mais temidos dentre as mulheres que desejam operar os seios.


A cirurgia de mama é uma das mais procuradas nos consultórios médicos , seja para diminuição, aumento ou dar aquela “levantadinha”, porém a grande maioria das mulheres vem com uma ideia fixa de resultado. Não é incomum a vizinha ter colocado 400 ml de silicone e a paciente querer um resultado exatamente igual.


Então já vamos começar esclarecendo uma coisa. Nenhuma mama no mundo é igual a outra, nem mesmo seu seio direito é igual ao seio esquerdo. Sendo assim nunca, jamais compare seu resultado com o de outra mulher. Isso não quer dizer que só porque o  seu seio é “ feio” ele não pode ficar bonito, muito pelo contrário, existem diversas técnicas que promovem uma otimização no resultado cirúrgico.


Inicialmente as próteses eram preenchidas de conteúdo salino (soro fisiológico, aquele que a gente usa pra limpar o nariz, lavar feridas).Essas próteses são utilizadas até hoje em alguns países (como os EUA) porém a moda não pegou muito bem aqui no Brasil. Conforme foram evoluindo surgiram próteses preenchidas de silicone e material mais coeso ( um silicone mais grossinho que mantem um formato mais firme), esse sim caiu nas graças das mulheres brasileiras por permitir ter uma mama “mais firme e definida”.


O formato da prótese consiste na sua base (redonda ou perfil em gota), e na projeção (perfil moderado, alto e super alto). Qual utilizar? Depende muito do que a paciente espera do resultado final e da anatomia que ela tem. Não é uma receita de bolo, a escolha depende do formato do tórax da paciente, da posição da mama no tórax, posição do mamilo, eventuais assimetrias e o volume de mama que a paciente já tem . É uma matemática muito complexa que não pode ser banalizada.  Não tem como, para você saber qual prótese é a ideal em você tem que consultar um cirurgião plástico, tirar as medidas e discutir o que você espera e o que o cirurgião pode oferecer.


Resumindo? Não é porque a sua amiga tem seu peso, mesmo tamanho de sutiã e mamas parecidas com as suas que o volume e formato de prótese serão os mesmo. Suas mamas são únicas e precisam de uma analise individualizada.


Quando usar a prótese perfil anatômico? Essa prótese é utilizada em mulheres que sejam um formato mais natural de mamas com pouca projeção ( colo marcado), não é muito procurada nos consultórios hoje em dia , porém é muito versátil na correção de assimetrias de tórax e mamas.


Perfil super alto é a maior prótese? Não necessariamente, prótese perfil super alto tem a maior projeção ( vide foto), mas o volume depende da base e da projeção da mama.


Proteses lisas ou texturizadas? Não só o conteúdo da prótese quanto a “capinha” que reveste ele são importantes, as próteses podem ser envoltas em material liso ou texturizado. Nas mamas utilizamos  mais o material texturizado que dificulta a formação de contratura.


Hoje falamos um pouco sobre as próteses mamarias e seus formatos, semana que vem irei falar sobre vias de acesso , qual o melhor lugar para inserir a prótese e localização das cicatrizes.


Beijo e até lá.

 

Dra Marielle Vono
Fernandopolense de nascimento, médica por vocação e apaixonada pela cirurgia plástica. Por aqui, Plástica sem Frescura semanalmente

Recomendadas para você