Economia

Lançamento de imóveis cresce 85% em outubro no País e verticalização acelera no interior



O setor de construção civil tem, de fato, resistido melhor aos efeitos da crise provocada pela pandemia do coronavírus. Os dados mais recentes divulgados pela Associação Brasileira de Incorporadoras Imobiliárias (Abrainc) revelam crescimento no País de 85,5% em imóveis lançados no mês de outubro, em comparação com o mesmo mês de 2019, e de 67,9% de imóveis comercializados, comparando os dois períodos. Nos últimos 12 meses, o aumento nos lançamentos foi de 5,6%, totalizando 111.429 imóveis a mais do que nos 12 meses precedentes.

A consolidação do cenário de juros baixos e as mudanças no comportamento de consumo impostas pela pandemia ajudam a entender essa evolução. Com a quarentena, muitas pessoas passaram a olhar mais para dentro de casa e perceberam a necessidade de se adequar ou mudar para um espaço maior, o que contribuiu para movimentar mais o mercado este ano.

Verticalização

Olavo Tarraf, presidente da TARRAF, ressalta que o mercado imobiliário em Rio Preto tem acompanhado o cenário nacional. “Há uma demanda reprimida em todos os segmentos, desde o econômico até o alto padrão, com tendência maior para empreendimentos residenciais verticais, especialmente quando pensamos em expansão da região Sul, onde deverão passar a se concentrar cada vez mais os empreendimentos de médio e alto padrão”, analisa Olavo.

De fato, dados da Secretaria Municipal de Planejamento revelam essa tendência de verticalização. O número de autorizações para construção de residenciais verticais em Rio Preto saltou de 21 em 2019 para 26 em 2020 (23%). Em área construída, a diferença é ainda maior: 190 mil m² em 2019 para 280 mil m² em 2020 (47%).

A própria TARRAF é exemplo do momento positivo do mercado imobiliário no âmbito local e regional. A construtora e incorporadora, uma das mais tradicionais do noroeste paulista e com atuação especialmente em Rio Preto, onde fica sua sede, e em cidades importantes da região como Catanduva, Votuporanga e Araçatuba, lançou 1,6 mil unidades em 2020, que representam um acréscimo de 398% frente às 321 unidades lançadas em 2019. A diferença reflete diretamente no valor de vendas líquidas da empresa, que passou de R$ 82,7 milhões em 2019 para R$ 136,9 milhões em 2020, um aumento de 65%. E, para 2021, a projeção de vendas é de R$ 223,8 milhões, 63% acima de 2020.

Atualmente, a TARRAF tem concentrado seus investimentos de médio e alto padrão na região Sul de Rio Preto e os lançamentos da linha mais econômica na região Norte. Na primeira, destacam-se principalmente o Montelena, com entrega prevista para 2021, e o Quintessa. Para os empreendimentos econômicos, a empresa criou uma nova marca, a TAFLEX, e lançou o Borghese Boulevard.

Não por acaso, o total de metros quadrados por empreendimentos lançados deu um alto exponencial de 2019 para 2020 - de 49.431 m² para 281.334 m² - graças, também, a lançamentos de grande porte como o Bosque das Laranjeiras, em Catanduva.

Para 2021, o plano da empresa é lançar quatro novos empreendimentos, com destaque para a torre Tribeca, do residencial Manhattan, em Votuporanga (que já conta com uma torre construída, a Soho) e a novidade Opus One, em Araçatuba. “Deveremos ter ao todo nove canteiros de obra ativos em 2021”, adianta Olavo.

Número de autorizações para construção em Rio Preto*

2019 - 21 (190,2 mil m²)

2020 - 26 (280,6 mil m²) aumento de 47%

* Dados fornecidos pela Secretaria Municipal de Planejamento referentes apenas a empreendimentos residenciais verticais

RECEBA NOTÍCIAS NO SEU WHATSAPP!
Receba gratuitamente uma seleção com as principais notícias do dia.


Mais sobre Economia